Como não deixar aquele amigo sacana do grupo levar a melhor na hora de dividir a conta
Alquimia Social / 2 setembro, 2015

Quando comecei a sair com grupos de amigos para ir em bares ou restaurantes, na adolescência, lá pelos 14 ou 15 anos de idade, muitas vezes tinha aquele “cara” (menino ou menina) que queria tirar vantagem dos demais. Normalmente era uma pessoa bem expansiva, nem sempre tão sutil quanto imaginava, mas estava lá, criando uma solução para um problema que na verdade não existia. Você sabe de quem estou falando. Não é uma pessoa identificada, específica. É um tipo de pessoa. Qual é o objetivo desse indivíduo? O objetivo é sair com o pessoal, se divertir, dar uma de legalzão e ainda ter a sua balada ou jantar subsidiados total ou parcialmente pelos demais, que, na sua visão de mundo distorcida, não percebem a sua conduta. Ele se acha um ilusionista, o David Blaine da contabilidade da noite. Quando cresci, achei que isso terminaria, especialmente depois que todo mundo (a maioria) arranjou emprego e dinheiro. Pura inocência. Desse modo, existem algumas soluções para esse problema. Antes de qualquer coisa, seja forte. Confie em si mesmo. A partir daí, existem duas possibilidades de ação: o confronto direto e o nó social. O confronto direto consiste em falar com a pessoa folgada….

Como se despedir dos amigos sem passar vergonha quando estiver indo para o seu carro: um manual
Alquimia Social / 27 agosto, 2015

Você teve uma noite ótima com seus amigos, conheceu pessoas novas, comeu e/ou bebeu, pagou a conta. Então chega aquele momento: todos à porta, na calçada ou no estacionamento do shopping, se despedindo, rindo, “vamos combinar”, “legal te ver”, e cada um vai para o seu respectivo carro. Se você chegou até aí, errou. Isso porque inevitavelmente vai acontecer de um ou mais amigos começarem a caminhar na mesma direção, sem prévio aviso, gerando aquela situação clássica de desconforto generalizado. Acho que isso acontece desde os tempos dos cavaleiros, quando o pessoal voltava de uma cruzada, dava um “high five” medieval, exaltava pela última vez o nome do Senhor, amém, e então caminhava para os cavalos, que estavam no mesmo estábulo ou amarrados na mesma coxia. Não se preocupe: a solução é fácil. Depois de pagarem a conta, ofereça carona aos seus amigos. Assim, você já elimina quem não veio por conta própria, e, de quebra, fica sabendo quem vai embora com quem. Em seguida, antes de se despedirem, pergunte onde cada um parou o carro. Se a resposta de um amigo não ficar clara, insista, conte que preferiu, por exemplo, parar mais longe do bar porque queria sair logo…

%d blogueiros gostam disto: